Pagani Zuuummm!

17 08 2010

O novo recordista de Nürburgring, de novo um italiano...

O reinado da Ferrari 599XX em Nürburgring durou pouco, o rival igulamente caro, exclusivo, e feio Pagani Zonda R tomou-lhe o posto da mítica pista alemã. Está declarada a guerra dos supercarros! Quando é que o Bugatti Veyron deixará de ser um artefato de grã-finos e entrará na pista para provar que realmente é o automóvel mais veloz do mundo? Bom…

A vantagem foi de um pouco mais de meio segundo, então pilotos da 599XX podem perfeitamente dar o troco. O Pagani Zonda R conta com um motor  de 6 litros, V12 de origem Mercedes AMG rendendo 750cv à 8000 rpm e custa nada menos que US$ 1,2 milhão. Pelo menos este supercarro consegue chamar mais a atenção pela performance documentada em pista, que pelo seu preço pornográfico…

Esse não gira em pedestal, corre em pista...

Agora Nürburgring Ficou Assim:

  • 6:47.50 Pagani Zonda R (750cv)
  • 6:58:16 Ferrari 599XX (700cv)
  • 7:22:09 BMW E46 CSL Loaded (550cv)
  • 7:22:10 Dodge Viper ACR (600cv)
  • 7:26:40 Chevrolet Corvette ZR1 (638cv)

Emerson Martinez

Anúncios




Inglaterra vs. Estados Unidos

12 06 2010

Não são supercampeões no futebol, mas ambos tem supercarros.

Nesse duelo de ‘metrópole’ contra ‘colônia’ já tivemos a zebra futebolística de 1950 no futebol. Mas falando de supercarros, seria equilibrado um duelo entre o mítico McLaren F1 de 1992, o carro de produção contínua mais rápido do século XX, e o recém lançado Corvette ZR1 2009, o mais rápido GM da história? Veja e decida quem ganha esse racha, camisa e potência para esses dois não faltam.

McLaren F1: Quase 400km/h

McLaren F1, 1992:  O próprio nome já diz, em 92 a McLaren não queria somente produzir mais um supercarro, mas algo que se aproximasse o máximo possível de um carro de Fórmula 1 para as ruas, e eles conseguiram. Além do “F1” a posição central do motorista era outro lembrete de que o modelo era quase um monoposto legalizado para pobres, ou melhor, ricos mortais.

O motor era um V12 da BMW, que gerava 627 cavalos. Além de exuberante potência, o revestimento do cofre do motor era folheado a ouro (!), um verdadeiro Fort Inox móvel. Apenas 100 foram produzidos, 36 de competição, e o preço? Esquece, nem a folha de pagamento do Manchester United pode comprar o velocíssimo F1.

O estábulo dourado, 627cv

O McLaren tem as portas abertas só para "boleiros" milhionários

Fabricante: McLaren Automotive – Woking, Surrey – Reino Unido

  • Motor: 6.1 litros, 12 cilindros em V
  • Potência: 627cv @ 7500rpm
  • Torque: 69,3 mkgf @ 5600rpm
  • 0-100km/h: 3.2s
  • 0-160km/h: 6.3s
  • 0-200km/h: 9.4s
  • 0-300km/h: 22s
  • 0-400m: 10.8s
  • Velocidade Máxima: 386km/h

Ao contrário da McLaren, a GM quer ver o "povo" a mais de 300km/h

Chevrolet Corvette ZR1, 2009: Após um hiato de 14 anos, a GM, à beira da falência, trouxe de volta em 2009 a versão mais musculosa dos Corverttes modernos, o ZR1. E este Corvette assim como a seleção americana de 1950, pertence a classe “operária”, custando cerca de US$ 113.000. Praticamente de graça, perto dos milhões do McLaren F1. Mas será que este GM, que é o mais rápido Chevrolet da história, teria talento pra driblar em campo em pista o McLaren F1?  Tal qual fizeram seus compatriotas em 1950, naquele surpreendente jogo em Belo Horizonte?

O veloz Chevy terá uma produção de 2000 unidades/ano, não será portanto uma figurinha tão rara quanto o McLaren. Mas esses dois são absolutamente colecionáveis, rápidos e com status de lendas.

Pechincha: 638cv por só 113 mil doláres...

O craque yankee está em plena forma.

Fabricante: General Motors Company – Bowling Green, Kentucky – Estados Unidos

  • Motor: 6.2 litros, 8 cilindros em V
  • Potência: 638cv
  • Torque: 83,5 mkgf
  • 0-100km/h: 3.2s
  • 0-160 km/h: 6.3s
  • 0-200 km/h: 10.3s
  • 0-300 km/h: 32.6s
  • 0-400m: 11.2s
  • Velocidade Máxima: 330km/h

Video McLaren F1:

Video Corvette ZR1:

-Se possível dê sua opinião aqui no Punta Taco. Diga que modelo deste comparativo você mais gostou e porquê, esperamos sua participação!

Fonte: www.fastestslaps.com

Autor Emerson Martinez





Nissan Skyline GTR R34 1999

27 04 2010

O maior esportivo japonês da história? Possivelmente sim.

Maior esportivo americano? Corvette ZR1 (Ou Dodge Viper GTS? Escolha ai), Alemão? Porsche 911, italiano? Algum modelo de Ferrari de 2 milhões de dólares, japonês? Pois é…qual seria o modelo mais representativo desta industria? Eu apostaria um Temaki no Nissan Skyline GTR R34, ainda que ao contrário dos modelos citados, o Skyline seja o menos popular de todos e só ficou conhecido fora da Ásia graças a um video-game.

Em 1957, quando o Japão ainda estava em obras devido a destruição da Segunda Guerra Mundial, a Nissan conhecida na época também como Datsun, lançou o Skyline um médio nipônico com linhas inspiradas nos americanos da época. Mas foi só em 1969 que ele ganharia uma versão esportiva, que se seguiu até 1977. Após um hiato de 12 anos, ele retornaria com muito mais potência e tecnologia.

R34: Skyline no seu auge.

O motor: Potência subestimada pra se encaixar na lei.

Em 1989 inciou-se a série apelidada de Godzilla, eram verdadeiros monstros potentes e High-tech, começando pelo  R32 que tinha tração integral e 280cv. Depois em 1994 veio o R33 e finalmente em 1998 o R34. Os anos 90 marcaram o auge dos esportivos japoneses, foguetes como Mazda RX7, Toyota Supra, Mitisubishi 3000GT, Honda NSX, além do próprio Skyline faziam a alegria dos tuners da época e o pesadelo das seguradoras.

E por falar em seguradoras, as leis japonesas queriam “domar” esses carros impondo uma limitação de potência, de no máximo 280cv. Mas com um inesperado “jeitinho japonês” a lei “não vingou”, pois muitos desses carros apontavam mais de 300 cv no dyno. Era o caso do R34 que debitava nada menos que 330cv.

O desenho do painel parece já datado, mas nele há muita tecnologia.

O Skyline mostra seus músculos.

No painel havia mostradores muito modernos, uma tela ao lado do conjunto principal mostrava, em cristal liquido, a pressão do turbo e a temperatura do óleo. Apesar disso, curiosamente o modelo não possuía air-bags e este foi um dos motivos do modelo não ter uma importação regular para os Estados Unidos. Poucos são os americanos felizardos a possuir o veloz cupê. Um dos sortudos é ator de Velozes e Furiosos Paul Walker, que adquiriu o R34 após guiar um no segundo filme da franquia.

Muito moderno e interessante também é o sistema de tração deste carro, denominado HICAS (High Capacity Active Steering). Esta tecnologia, permite um pequeno esterçamento das rodas traseiras, em cerca de 1 grau, elas viram em curso contrário as rodas dianteiras e em baixa velocidade em manobras como estacionamento. Ou viram no mesmo sentido das dianteiras em altas velocidades, para otimizar o contorno de curvas.

No R34 você poderia ter o auxílio das rodas traseiras pra estacionar ou fazer curvas.

O modelo que participou de Velozes e Furiosos II e uma bela loira.

...e Paul Walker gostou tanto que ficou com um...

O R34 tinha bancos em concha e pneus 245/40 aro 18, custava a pechincha de 31.000 doláres, bem menos que seus equivalentes europeus. Porém o alcance mercadológico do Skyline fora do Japão foi limitado. As exportações eram principalmente para Austrália e Nova Zelândia (mercados muito pequenos), depois Reino Unido, Irlanda e Canadá com volumes também muito limitados.

Levando-se em conta seu mais de meio-século de história. O Skyline ganhou fama tardiamente, no final dos anos 90, quando todos os grandes esportivos japoneses estavam minguando em vendas ou sendo descontinuados. O modelo caiu na boca do povo através de video-games como Gran Turismo ou Need for Speed. É o consolo para quem nunca guiará um.

A versão R34 saiu de linha em 2002, dando lugar a um cupê chatissimo que mais parece carro de médico. Este novo carro apesar de possante também, está mais domesticado e bem menos agressivo, e visa prioritariamente o mercado americano.

Nas pistas o Skyline obteve muito sucesso na JTCC (Japonês de turismo) e no turismo australiano também, no Japão é utilizado para provas de arrancada em modelos que superam os 1000cv. Nos EUA algumas equipes de Drift utilizam Skylines do R32 ao 34.

Não é em qualquer revenda que se encontra um Skyline. Apele para um Video Game!

No desconhecido e competitivo turismo japonês, muitas vitórias.

Novo "Skyline": De um carro que tirava o sono, para outro que dá sono...

O Skyline, assim como muitos esportivos e alto desempenho japoneses reunia um belo refinamento mecânico, quase alemão. Com preços acessíveis, comparáveis aos populares Muscles americanos. Infelizmente, no caso do Skyline não houve uma exportação massiva, nem uma grande popularização do modelo no ocidente (a não ser nos Play Stations), mas isso não depõe contra a qualidade deste belo automóvel.

Aliás a China, um desses balados mostrengos do terceiro-mundo, deve ultrapassar o Japão este ano em PIB e em produção de veículos. Mas na Ásia só há uma nação que seja grande produtora de veículos de qualidade, e ela se chama Japão e muito disto graças ao Skyline o modelo mais longevo e icônico da história daquele país.

Ficha Técnica

Fabricante: Nissan Motor Company – Tochigi, Japão

Motor:

  • Cilindrada: 2.6 litros, 6 cilindros em linha.
  • Torque: 40kgfm @ 4400rpm
  • Potência: 280cv (Declarados) 335cv (Estimados) @ 6800rpm
  • Relação peso/potência: 4,56 kg/cv

Dimensões e peso

  • Comprimento: 4,60m
  • Largura: 1,93m
  • Entre-eixos: 2,66m
  • Peso: 1530kg

Desempenho

  • 0 a 100km/h: 5.2s
  • 0 a 160km/h: 12.80s
  • 0 a 400m: 13.17s
  • Velocidade Máxima: 250km/h

Fonte: Revista Japanese Performance e site www.fastestlaps.com

Autor: Emerson Martinez