IKA Renault Torino 380W 1973

6 08 2010

IKA Renault Torino 380W: O melhor esportivo argentino de todos os tempos...

A legenda acima não é um exagero, o Torino 380W produzido pela Joint-Venture IKA- Renault, é mais que um esportivo clássico, é um orgulho nacional argentino. Tornou-se um carro cult ainda em produção, adquirido por alguns líderes mundiais quase venceu as 24 horas de Nurburgring em 1969, foi tri-campeão da TC (Turismo Carretera), enfim ao Torino sobram qualidade e adjetivos. É um automóvel de categoria mundial, produzido sim senhor, na América Latina.

A IKA Renault nasceu em 1955 de uma Joint-Venture em cima de outra Joint-Venture, entre a Renault-Willys e a Kaiser Motors americana, também conhecida posteriormente por American Motors. O Torino argentino é irmão gêmeo, separado “ao nascer”, do AMC Rambler Rogue de 1964. O irmão portenho porém, ganharia traços italianos do estúdio Pininfarina de um projeto que originalmente pertencia ao designer Richard A. Teague.

AMC Rambler Rogue, o irmão 'musculoso' do norte e...

...'su hermano' argentino, IKA Renault Torino com uma pitada italiana e francesa...

Em meados de 1966, o Torino iniciava sua produção na Argentina, e já com o título não reconhecido de esportivo mais veloz da América do Sul. Na versão 380W atingia já os 200km/h, e acelerando até os 100km/h em 10 segundos. Desempenho bem superior aos do Simca Emisul e do JK2150 dois dos nacionais mais velozes desta mesma época. Mas dentro de casa o Torino já tinha rivais à altura; o Ford Falcon e o Chevrolet Chevy 250 (o Nova argentino) ambos também com origem norte-americana, mas com modificações e adaptações do mercado argentino.

A versão 380W tinha um motor de 6 cilindros e 3,8 litros, equipado com três carburadores duplos Weber 45 (dai o codinome 380W),  que rendiam no auge da forma deste esportivo, em 1973,  218cv de potência. Igualando-se ao Dodge GTX que era um pouco maior e mais pesado, e bem mais potente que o Ford Falcon SP que rendia meros 166cv.

Esportivo argentino com um pouco de DNA Muscle Car.

Três famintas Weber 45 duplas alimentam o motor.

Misión Argentina 1969

Até 1969 o Torino não vendia lá essas coisas, mas estamos falando de um tempo de montadoras corajosas, que não temiam colocar seu produto à prova contra a concorrência ou produtos internacionais para mostrar ao público consumidor sua qualidade. Não, não senhor, não foi criada uma categoria monomarca chata tipo “Copa Torino”.

O que a IKA Renault fez foi uma equipe de corridas com 3 Torinos 380W , presidida por ninguém menos que Juan Manuel Fangio, tendo como cordenadores Tibor Teleki e Carlos Lobosco e chefe de equipe em pista Orestes Berta o mesmo desenvolvedor do Maverick Hollywood da Divisão 3 em 1974.

Os três Torinos foram disputar as 24 horas de Nurburgring, disputando curva a curva do complexo circuito com o melhores carros médios produzidos na Europa, ou os potentes Pony Cars americanos V8 de pegada ‘Muscle’ como Mustangs e Camaros por exemplo.

O 380W 1969 de Nurburgring: Autor de uma façanha que parou um país...

O vencedor 'Moral' ficou por um escapamento rompido e a rigidez do regulamento da glória total.

Os Torinos de Nurburgring eram quase Stock, apenas com gaiola interna, e outras modificações, como saliências do capô com a curiosa função de ricochetear detritos e insetos pra bem longe do pára-brisas. Já o painel era o mesmo do carro de rua, com todos os mostradores e o motor um pouco envenenado entregava 250cv.

A prova foi transmitida para toda a Argentina via Rádio e TV, com grandes expectativas, um verdadeiro clima de Copa do Mundo e de grande exaltação nacionalista. Turnos em fábricas e escritórios interrompidos enquanto os bravos Torinos argentinos deixavam americanos e europeus pequenos em seus retrovisores.

Lá pelas tantas, o Torino dos pilotos “Larry”, Eduardo Coppello, Oscar Mauricio Franco liderava a prova com folga na sua categoria, e estavam em quarto no geral, até que um escapamento se soltou. A parada nos boxes para reparar o dano, mais a rigidez do regulamento que puniria o carro em menos 5 voltas pelo dano sofrido, roubaram do Torino a glória máxima, um feito que seria inédito para o esporte à motor da Argentina e do continente.

Até hoje no entanto o IKA Renault Torino detêm o recorde de quantidade voltas dadas em Nurburgring sem nenhuma quebra de motor. Esse carro se encontra hoje no Museu dedicado à Juan Manuel Fangio.

Veja aqui neste video mais detalhes deste fantástico carro:

O Torino ainda seria tri-campeão da categoria TC, a prova de turismo argentino, em 1967, 1970 e 1971. O esportivo também conquistou outras tantas provas em outras categorias, mas será sempre lembrado pelo seu feito na Alemanha.

O Torino “Civil”

A revista argentina Corsa testou o modelo 380W  modelo 1973,  o qual atingiu a máxima de 203km/h com seus quase 220cv. O consumo como é de se esperar, muito alto. O Torino consumia pouco mais de 4km/l de combustível na cidade, e fazia 7 km/l de média. Mas os bolsos dos argentinos daqueles tempos eram mais abonados e prontos para bancar tamanha sede.

Mais abonados ainda eram alguns donos ilustres do Torino tais como: Fidel Castro, Leonid Brezhnev, e Muammar al-Gaddafi. A fama do Torino já não cabia dentro das fronteiras portenhas, porém os brasileiros, sempre isolados do mundo hispânico e muito atentos ao planeta anglo-saxão e europeu ainda hoje desconhecem a história e as qualidades deste carro.

O carrão foi sonho de consumo até do socialista Fidel Castro.

Se você ver um desses na Líbia, com certeza é o do Muammar Gaddafi

218cv (SAE) garantem ao Torino mais de 200km/h de máxima.

Nada de plástico, acabamento robusto digno dos anos 70.

Los Hinchas Boludos

Entre a fase IKA até a compra da mesma pela Renault foram 15 anos de produção. Quando foi descontinuado em 1982, o Torino já estava envelhecido em estilo, mas mesmo nas versões mais mansas ostentava ainda um ótimo desempenho.

Porém nos anos 80 não havia lugar para carros grandes, beberrões e de tração traseira. Se nem os americanos aguentavam mais sustentá-los quem dirá os argentinos ou mesmo os brasileiros, também com seus modelos equivalentes. Assim o Torino saiu das linhas de montagem para a história. 

O Torino hoje é respeitado por quase todos os argentinos, digo quase porque lá, como aqui também, se cultiva a grande imbecilidade de rivalizar clássicos de maneira negativa. Como torcedores organizados de futebol peçonhentos e acéfalos  os “chevrolistas”, “fordistas” e “dodgistas”  rejeitam o carro e ofendem seus proprietários, como se isso de alguma forma ajudasse a perservar os carros preferidos destes.

Para o bem do automobilismo trata-se de uma minoria burra que em nada podem manchar a importância deste e de outros modelos. Eu por minha vez não discrimino nenhum clássico, gosto de todos.

Último Torino em 1982: já envelhecido o único item moderno é o encosto de cabeça vazado.

Videos: Não economizei nos videos, alguns de proprietários de Torino. Um Torino de arrancada com 1000cv de potência, e uma propaganda de TV do modelo TSX. Vaya cochazo hombre!

Fabricante: IKA Renault S.A – Santa Isabel, Província de Córdoba – Argentina.

  • Motor: 3,8 litros, 6 clilindros em linha
  • Potência: 218cv @ 4300rpm
  • Torque: 35mkgf @ 2000rpm
  • Peso: 1385kg
  • Comprimento:  4,73m
  • Largura: 1,80m
  • Altura: 1,41m
  • 0-100 Km/h:  10.30s
  • 0-120 Km/h: 14.50s
  • 0-140 Km/h:  18.53s
  • 0-1000 Metros:  31.20s
  • Velocidade Máxima: 203km/h

Fonte: Corsa Nº 342, Novembro de 1972 e site www.testdelayer.com.ar

Texto: Emerson Martinez





¡Enhorabuena Campeones!

14 07 2010

¡Juntos tocamos la gloria!

Os pido una pausa en nuestras pautas de coches deportivos y automoción en general para saludar La Roja,  La Selección Española de Fútbol que cada vez más nos enorgullece con su talento y su arte. Soy orgulloso de ser español y ver como el deporte de nuestro país ha evolucionado en los últimos años. Somos primera línea en Baloncesto, Tenis, Ciclismo, Motovelocidad, Formula 1, y ahora finalmente el fútbol.

Nuestros agradecimientos para: Iker Casillas, Pepe Reina, Víctor Valdés, Raúl Albiol, Alvaro Arbeloa, Joan Capdevila, Carlos Marchena, Gerard Piqué , Carles Puyol, Sergio Ramos, Sergio Busquets, Cesc Fábregas, Andrés Iniesta, Javi Martínez, Xavi Hernández, Jesús Navas, Juan Mata, Pedro Rodríguez, Fernando Llorente, Fernando Torres,  David Villa, y el jefe callado Vicente del Bosque.

Gracias a vosotros el 11-J será una fecha histórica e imborrable.

-“El feo de cojones, Joan… ¡¡¡CAPDEVILA!!!”
-“Con el 21, desde Canarias, con su sambita, con su guasa, con su arte, por aquí, por allí, el amago, ahora sí, ahora no, te la meto, cógelo… jajajaja”

Sin más, os dejo con el speaker que és la hóstia. El tremendo Pepe Reina:

-Emerson Martinez





Holanda vs. Espanha

11 07 2010

Agora é a hora da verdade!

Pois bem amigos do Punta Taco, é chegada a hora! Como diria a saudosa (e com todo respeito, gostosa) Leila Diniz, “Brigam Espanha e Holanda pelos direitos do mar” ou da pista? Nosso último comparativo da Copa não poderia ser outro, senão de dois supercarros oriundos das duas nações finalistas do mundial na África do Sul.

A Espanha enquanto construtor de automóveis, é uma espécie de “Uruguai”. Já teve muita tradição no passado, (como dissemos aqui na matéria dos velozes Pegasos), e além destes, da peninsula ibérica vieram também a Hispano-Suiza e Abadal. Hoje porém, o país é um grande produtor de automóveis  de montadoras multinacionais, e somente a Seat e a fabricante de utilitários Santana sobreviveram como matrizes.

O espirito superesportivo espanhol sobrevive agora apenas com raras iniciativas de pequenos fabricantes como a Tramontana, e a GTA Motor Competición que é na verdade uma equipe de corridas espanhola que compete na Fórmula 3 europeia, Superleague Formula , e nas competições GT de protótipos espanhola e do continente europeu. Entre as revelações deste time está o piloto espanhol Jaime Alguersuari.

GTA Motor: das pistas para a rua, praxe entre os fabricantes de supercarros.

Tanta expertise no mundo das competições, levou a GTA a fabricar em edição limitada para as ruas seu primeiro supercarro, o GTA Spano, o carro espanhol mais veloz de todos os tempos e um dos mais rápidos do mundo na atualidade. Apenas 99 unidades do Spano serão produzidas pela GTA na sua sede em Torrent, Valência.

A holandesa Spyker também tenta incluir a Holanda na elite de produtores de carros exóticos. A marca ganhou força recentemente quando comprou a combalida montadora sueca Saab, o que tornou a marca um pouco mais conhecida. A Spyker herda o nome da antiga marca holandesa de carros e aviões Spyker que fechou as portas em 1929.

"Nulla tenaci invia est via"

Além do nome o lema também se repete: Nulla tenaci invia est via, do latim algo como: “Para os tenazes nenhuma estrada é intransponível”. Certamente não para estes holandeses que competem também nas pistas. No passado recente tiveram até equipe de Fórmula 1, e na LeMans Series categoria GT2 colocaram um dos seus modelos, o C8 Laviolette, para competir.

O último lançamento da Spyker é o C8 Aileron Spyder, que na verdade em termos de desempenho e até de proposta não é lá muito comparável ao GT Spano, devido a superioridade em potência e performance do espanhol. Em comum no entanto a origem no mundo das corridas que ambas marcas europeias possuem. Se fosse pilotar uma destas máquinas, por qual optaria?

Aileron Spyder: Literalmente uma 'Laranja Mecânica'

Spyker C8 Aileron Spyder, 2010:  O supercarro holandês vem agora em versão conversível derivado do Laviolette, e é equipado com motor Audi V8 4.2 litros e 405cv. Sua carroceria é em alumínio, e seu interior vem em um sugestivo laranja que é revestido em couro, mas pode vir também em 14 tons. Sua capota tem por sua vez 8 opções de cores.

A transmissão pode ser automática ou manual de seis marchas, o acionamento da sua capota tem acionamento eletrohidráulico. O Aleiron por questões logistícas é fabricado em uma unidade da Spyker em Whitley, no Reino Unido.

A marca dispõe de uma crescente gama de modelos esportivos e são aguardadas futuras novidades após a aquisição da Saab, quem sabe virá em breve uma verdadeira “laranja mecânica” para encantar os automobilistas do mundo inteiro.

O carro mais veloz da Casa de Orange.

Carroceria em alumínio e interior em couro. Tudo feito a mão...

Fabricantes: (Sede): Zeewolde, Holanda  (Montagem): Whitley, Reino Unido.

  • Motor: 4.2 litros, 8 cilindros em V
  • Potência: 405cv @ 5800rpm
  • Torque: 49mkgf @ 4000rpm
  • 0-100km/h: 4.5s
  • Velocidade Máxima: 300km/h

 

GTA Spano: Poderosa fúria espanhola.

GTA Spano, 2010: Serão produzidas apenas 99 unidades deste que é simplesmente o mais furioso carro espanhol já lançado. O supercarro hispânico é feito em fibra de carbono e possui algumas amenidades tecnológicas, como um teto envidraçado de transparência regulável com cristal liquido, esse mesmo recurso é aplicado como Para-Sol. Compensando tanta visibilidade para frente e para o céu, não há no entanto, visibilidade traseira que só é possivel através de uma câmera.

Ajustável também é o sistema de suspensão, tanto em geometria como em altura. Os freios para estancar seus 780cv são em carbono-cerâmica. O motor é de Viper, um V10 de 8.3 litros. A transmissão é de semi-competição sequêncial com manopla atrás do volante automática, ou alavanca no console manual.

O Spano vem credenciado pela experiência da marca GTA nas pistas. É um supercarro de fato. Um touro furioso de quase 800cv que dará mais peso a camisa da Espanha no mundo do automóvel. Ele vem exatamente da terra onde nasceu em 1976 o pequeno Ford Fiesta, em Valência, o Spano torna-se então  um marco evolutivo do país em termos econômicos, tecnológicos e quiçá futebolísticos…

Lançamento do Spano na Ciutat de les Arts, em Valência.

 

Cockpit onde desfrutarão apenas 99 sortudos...

Fabricante: GTA Motor Competición – Torrent, Valência – Espanha

  • Motor:  8.3 litros, 10 cilindros em V
  • Potência: 780cv @ 6000rpm
  • Torque: 93,8 mkgf @ 4700rpm
  • 0-100km/h: 2.9s
  • Velocidade Máxima: 350km/h

Fonte Dados Técnicos: Fabricantes

Autor: Emerosn Martinez

¡Suerte Furia Roja!

 

 

 





Um Chique no Chiqueiro

27 06 2010

"Lavou tá novo mate!"

Aplicação de lama na pele é um tipo tratamento de beleza, mas obviamente isto não se enquadra a esse Bentley Continental GT. Fica então a dúvida de qual seria exatamente o “tratamento” dado ao luxuoso e muito, muito caro cupê. De qualquer maneira o proprietário pode pagar uma gorda gorjeta ao sortudo serviço de lava rápido local…

Coincidência ou não, hoje a Alemanha venceu a Inglaterra (terra de origem da Bentley) por 4×1 pelas oitavas de final da Copa do Mundo, ou seja, o futebol inglês também está na lama…”sorrey…”

-Emerson Martinez





Portugal vs. Brasil

25 06 2010

Portugal x Brasil: Mesma matriz, desenvolvimentos diferentes...

Na Copa de 1966, na Inglaterra, o Brasil de Pelé era atropelado por Portugal com seu fantástico “Pantera Negra” Eusébio. Os portugueses tiveram sua melhor campanha naquele mundial, mas não levaram a taça. Quatro anos depois, o Brasil tornou-se tri-campeão com a melhor seleção de futebol da história. Convenhamos, ao fim o Brasil triunfou sobre os patrícios lusos.

Mas no que tange aos automóveis, o Brasil não pratica um esporte campeão. Somos ainda um time de série B que se limita a satisfazer a demanda da torcida, mas sem dar show de bola, e que perde de goleada para o que se produz na Europa. Como constataremos neste comparativo entre dois Volkswagens, o ressuscitado hatch Scirocco da Volks europeia enfrenta  o último esportivo da Volkswagen brasileira o Golf GTI (descontinuado este ano), acho que de  novo os portugueses vencerão.

VW Scirocco TSI um "alemão" Made in Portugal.

Volkswagen Scirocco TSI, 2009:  Renascido e repaginado, o hatch compacto da Volkswagen europeia agora sai das terras lusitanas, mais precisamente da VW AutoEuropa, uma das mais modernas linhas de montagem do velho continente. O velho Scirocco foi produzido entre 1974 e 1992 e deixou vago o nicho de pequenos hatch ou mini cupê se preferir, como também havia sido outro VW do gênero o Corrado.

O Scirocco TSI foi lançado em 2008 tendo como base o conceito Iroq, desenhado por Giugiaro, o modelo TSI se utiliza de turbocompressor e rende 200cv. O pequeno esportivo luso-alemão tem muitas amenidades tecnológicas, como por exemplo, um sistema de direção eletro-mecânico que pode ser ajustado em 3 programas: Normal, Sport e Comfort. Tudo isso por módicos 23 mil euros, mas quanto custaria em Escudos? Ou melhor ainda em Reais?

Ao invés de muitos impostos, muita tecnologia...

Pise muito nos 'travões' para segurar os 200cv deste gajo o pá

Fabricante: Volkswagen AutoEuropa – Palmela, Portugal – União Europeia

  • Motor: 2.0 litros, 4 cilindros em linha, turbo
  • Potência:  200cv @ 6000rpm
  • Torque: 206lbs/ft @ 1700rpm
  • 0-100km/h: 7.2s
  • 0-400m: 15.3s
  • Velocidade Máxima: 234,9km/h

Você gostou dessa "nova" frente do Golf? Nem eu...

Volkswagen Golf GTI 2008: O Golf GTI foi certamente o VW mais veloz já produzido no Brasil, lançado primeiramente com 150cv, sua potência subiu para 180 e depois no final de sua carreira 193cv. Se a potência e o desempenho evoluíram, o mesmo não se pode dizer em inovação e design.

Enfrentando muitos concorrentes tais como: Fiat Marea Turbo, Audi A3 Turbo e por fim o moderníssimo Honda Civic SI. O Golf GTI não fez um bom papel dentro de campo, que depois da baixa receptividade da torcida,(consumidor) nas últimas temporadas, e um super inflacionado passe de 44 mil euros, acabou finalmente pendurando as chuteiras. Imagine então quantos “chuveirinhos” levaria este defasado atleta do craque Scirocco?

Um belo acabamento franciscano na cor "cinza-ratinho"

Motor de 193cv turbinado, pena que o Golf envelhecido estava incluído no pacote...

Fabricante: Volkswagen do Brasil S.A – São José dos Pinhais, PR – Brasil

  • Motor:  2.0 litros, 4 cilindros em linha, 20 válvulas
  • Potência: 193cv @ 5500rpm
  • Torque:  25,5 mkgf @ 1950rpm
  • 0-100km/h:  7.8s
  • 0-400m: 15.8s
  • Velocidade Máxima: 228, 8km/h

Fonte: Dados e imagens Golf: www.bestcars.com.br , Dados Scirocco: www.torquestats.com

Autor: Emerson Martinez





Eslováquia vs. Itália

24 06 2010

Apenas nesta imagem ambas nações jogam com igualdade de condições...

Ferrari e Porsche,  duas marcas de supercarros que já tiveram mais a ver uma com a outra, ainda que os alemães fossem mais tecnológicos e menos exclusivistas e egocêntricos que os italianos. Mas hoje a Porsche anda um tanto esquizofrênica, e resolveu lançar em 2005, um pesadíssimo SUV fabricado no leste europeu. Hoje a Porsche está mais próxima da Audi do que um dia esteve da Ferrari.

Já os italianos continuam fiéis como um cachorro ao que se convenciona chamar de supercarro europeu. Nada de SUV’s, sedãs, pick-ups ou furgonetas com emblema Ferrari (pra isso já existe a Fiat oras!). É isso que os alemães deveriam entender. Já que a Volks também possui muitos nichos através de suas muitas marcas, poderiam evitar o desenvolvimento de um utilitário justo na sua marca de supercarros vitoriosos.

Este comparativo é insólito (culpa dos alemães, da Porsche, da VW, ou até do Lula se preferir) e não há equilibrio algum entre a italiana Ferrari 458, e o germano- eslovaco Porsche Cayenne. Embora eu seja um detrator da Ferrari ainda mais em relação a sua rivalidade com a Porsche, reconheço que nesta comparação, a Itália goleia.

Obesidade mórbida: Para conquistar os corações (dólares) americanos, muitos quilos extra neste Porsche (?)

Porsche Cayenne Turbo S, 2010:  Ninguém aqui vai negar que trata-se de um carro alemão, mas para dar o tom da nossa brincadeira, vamos conceder também ao Porsche Cayenne o passaporte eslovaco. Primeiro porque os pobres eslovacos perderam a Skoda ao se separarem dos tchecos, segundo porque é também na Eslováquia onde ‘nasce’ ele e também seus outros irmãos gêmeos não-idênticos Audi Q7, e Volkswagen Touareg. Esses 3 SUV’s dividem a mesma plataforma.

A VW abriu uma planta em um país do leste europeu atrás de mão de obra barata, mas buscando consumidores de folha de pagamento bem cara. E a Porsche mais cobiçosa que nunca, quis lançar um SUV visando principalmente o mercado americano.

Em 2005 a Porsche assombrou/decepcionou seus fãs puristas (eu) ao lançar esse jipe de luxo com 4,8 metros de comprimento e 2,4 toneladas. Para mover esse rinoceronte é necessária a convocação de 550cv. A pesada e onerosa aberração chega, apesar do tamanho, a 285 km/h, uma verdadeira irresponsabilidade, imaginem a cratera que isto pode provocar colidindo com qualquer outra coisa? Bom…

Esse carro tem ótimo desempenho e é até bom de curvas, mas não deixa de ser um convite (caro) ao mau gosto. Poderia-se lançar um SUV até maior e mais dispendioso que este, mas nunca, jamais sob insígnia Porsche. O Cayenne é aquele time que vence mas não convence.

Este "utilitário" é tão necessário na terra, quanto uma geladeira é necessária para um esquimó...

Apesar da obesidade o Cayenne Turbo S se move rápido, graças ao seu V8 de 4.8 litros.

Fabricante: Volkswagen Slovakia a.s – Bratislava, Eslováquia – União Europeia.

  • Motor:  4.8 litros, 8 cilindros em V
  • Potência: 550cv @ 6000rpm
  • Torque: 76,5 mkgf @ 2.250rpm
  • 0-100km/h:  4.1s
  • 0-160km/h: 10.1s
  • 0-400m: 12,6s
  • Velocidade Máxima: 285km/h

Ferrari F458: os italianos vendem caro seus carros, mas não suas almas...

Ferrari F458 Italia, 2011:  Antes que o mundo acabe a Ferrari resolveu antecipar o sucessor da F430, a F458 2011. Ela tem quase 100cv a mais que a F40, que na sua época era a Ferrari top, a F458 hoje é o modelo de entrada da marca, seu desenho é bonito, o desempenho é excelente, e apesar de ser um modelo totalmente novo, todos conhecem a “camisa” e a tradição que tem a Ferrari.

Portanto, eles não precisam inventar “moda” e fugir do seu mercado exclusivo e lançar um jipe por exemplo. Quem gosta de Ferraris que os compre e/ou aceite como são. Quer um SUV? Compre um Toyota Land Cruiser pelo amor de deus…

Com 570cv a F458 acelera de 0 até 100km/h em somente 3.3 segundos, o melhor rival para esta macchina seria certamente o Porsche 911 Turbo GT2, mas eu prefiro compará-la com o Cayenne e rir muito ao fazer isso. Quem sabe mais pessoas sensatas se juntem a mim. De qualquer forma se a Ferrari resolver lançar o seu 4X4 “lameiro” o Capo Enzo Ferrari jura que sai da cova pra assombrar todo mundo…

O F458 pesa pouco mais da metade do Cayenne, e é mais que o dobro de carro.

Atrás do Cayenne: banco de bebê, atrás da F458: este belo motor...

 Fabricante: Ferrari S.p.A – Maranello, Emilia–Romagna – Itália

  • Motor:  4.5 litros, 8 cilindros em V
  • Potência:  570cv @ 9000rpm
  • Torque: 55 mkgf @ 6000rpm
  • 0-100km/h: 3.3s
  • 0-160km/h: 6.5s
  • 0-200km/h: 9.7s
  • 0-400m:  11.0s
  • Velocidade Máxima: 325km/h

Fontes: www.fastestlaps.com e Revista Car and Driver, Número 26

Autor: Emerson Martinez





Alemanha vs. Austrália

13 06 2010

O Clássico Supercarro X Muscle Car.

Se no futebol Alemanha x Austrália está longe de ser um clássico, o contrário poderíamos dizer destes dois modelos, que teriam tudo para duelar de igual para igual na pista. Supercarro contra muscle é sempre um clássico, muito embora haja muitos pontos destoantes, como o preço de um, dinâmica em curvas do outro, etc…Mas pelo menos neste conceito da Holden (GM australiana) os “ingleses de fazenda” capricharam no Monaro. E o pessoal da AMG com o Mercedes SL65 também não deixaram por menos. Qual destes modelo mereceria ser licenciado por você? Veja e decida.

Este Mercedão tem torque para mover montanhas...

Mercedes-Benz SL65 AMG Black Series, 2009: Por mais que uma montadora aumente a potência de um determinado modelo, existirão sempre os insatisfeitos. Principalmente se esta fábrica tiver uma preparadora afiliada. A AMG pegou a já suficientemente potente Mercedes SL65 e colocou mais alguns cavalos, afim de empurrar mais rapidamente ainda os mais de 1800kg do veículo.

Este Panzer teutônico possui 670 cavalos, e pasmem, 102 quilos de torque! E limitados eletronicamente! (Pra quê???), senão o carro chegaria a inacreditáveis 122 mkgf de pura truculência. Imagine essa coisa queimando pneus? Tal manobra poderia acordar até um vulcão.

Pesado e veloz como um jogador de Rugby...

Não é a fé que move montanhas, é este motor aqui...

Fabricante: Mercedes Benz A.G – Bremen, Alemanha

  • Motor: 6.0 litros, 12 cilindros em V
  • Potência: 670cv @ 5400rpm
  • Torque: 102 mkgf @ 2200rpm-4200rpm
  • 0-100 km/h: 3.8s
  • 0-160 km/h: 7.7s
  • 0-200 km/h: 11.0s
  • 0-400m: 11.8s
  • Velocidade Máxima: 320km/h (limitados eletronicamente) pra quê???

Holden Monaro HRT Concept: O tiro que não saiu da culatra...

Holden Monaro HRT 427 Concept, 2002: Uma pena, mas alguns conceitos saem da prancheta diretamente pro museu. E o com nosso Aussie Muscle, não foi diferente. Um crime, porque esse modelo tal como foi concebido é um legítimo Stock Car moderno. Nada a ver com essas gaiolas cobertas com uma bolha de fibra de vidro, imitando mal e porcamente um modelo de rua.

Essse Monaro cupê, reúne toda a experiência de pista da Holden, na Australian Supercar V8. São 560cv em um motor de 7 litros e 79,5 mkgf de torque, muita máquina para não se comercializar, mesmo que de forma limitada, deveriam ter ousado um pouco mais e colocado esse “Musclão” pra fazer listras no asfasto. Mas esse craque foi só promessa e não entrou em campo.

7.0 litros e 560cv que mal galoparam por ai...

Esta direção está do lado errado, do outro lado do mundo...rsrsrs!

Fabricante: GM Holden Limited – Port Melbourne, Victoria – Austrália

  • Motor: 7.0 litros, 8 cilindros em V
  • Potência: 560cv @ 6000rpm
  • Torque: 79,5 mkgf @ 4800rpm
  • 0-100 km/h: 3.8s
  • 0-160 km/h:  8.4s
  • 0-400m: 11.8s
  • Velocidade Máxima:  300km/h

Video Mercedes-Benz SL65 AMG Black Series:

(Infelizmente não foram encontrados videos do Holden  Monaro HRT 427, futuramente porém, este post poderá  ser atualizado.)

Se possível dê sua opinião aqui no Punta Taco. Diga que modelo deste comparativo você mais gostou e porquê, esperamos sua participação!

Fonte: Dados das montadoras.

Autor: Emerson Martinez