O Esquadrão Implacável/The Seven Ups

16 07 2010

The Seven Ups: Perseguição com grife Bullit...

Antes de Tubarão, Roy Scheider (1932-2008) estrelou o filme policial Seven Ups (O Esquadrão Implacável) de 1973, que é um grupo de elite policial à paisana que se utiliza de táticas não convencionais na luta contra o crime. O caldo engrossa quando um dos policiais deste esquadrão é assassinado, e o grupo colocado à prova.

Colocados à prova também foram os Pontiacs Ventura e Grand Ville que literalmente decolam nas ruas do Bronx a 180km/h reais. Se você só viu carro correndo no cinema assistindo Velozes e Furiosos, se prepare, porque nesta perseguição não há efeitos especiais, apenas câmeras instaladas nos carros capturando toda a ação.

O saudoso Roy Scheider checa os últimos detalhes do seu Pontiac Ventura.

Sem efeitos especiais: Os carros vão a toda velocidade apenas com as câmeras fixadas.

Pontiac Ventura Sprint 1973: 200cv liquidos e 0-100km/h em 7.7s

O filme da 20th Century Fox, foi dirigido por Philip D’Antoni, produtor do policial Bullit (1968) estrelado por Steve McQueen. Também de Bullit e Operação França, Bill Hickman (1921-1986) piloto-dublê que é o sinistro ‘tiozinho’ de óculos que pilotava o Charger R/T preto perseguido por McQueen.

As cenas de perseguição se deram nas ruas do Bronx e Manhattan, o carro dos bandidos é um Pontiac Grand Ville 1973 , um Full-Size que teve baixa produção entre os anos 1971/1975. O enorme sedã tinha um motor de 6.6 litros e 360cv brutos e impressiona pela velocidade alcançada nas cenas.

O “compacto” Pontiac Ventura 1973 por sua vez, possui o famoso 350 (5.7 litros) e 200cv liquidos, este modelo é baseado no Chevrolet Nova do mesmo ano e é basicamente o último Pontiac GTO fabricado em 1974. Este modelo acelerava de 0 a 100km/h em 7.7s e cumpria o quarto de milha (400m) em 15.7s, números semelhantes aos de um Honda Civic SI atual.

Mais uma vez Bill Hickman não dá mole pro "mocinho"

Pontiac Grand Ville, a 'barca' voadora de Seven Ups...

Ventura Sprint exatamente igual ao do filme em foto atual...

Os anti-saudosistas que me perdoem, mas em se tratando de perseguição cinematrográfica de automóveis os anos 70 foram a Era de Ouro, distantes de normas mais rigidas de segurança, altos valores de seguro e principalmente de efeitos especiais à la PlayStation, esses dublês profissionais premiaram o público de cinema da época com cenas antológicas e com muita, muita velocidade. Vou mais longe: Bullit, Operação França e O Esquadrão Implacável deveriam ser vendidos em pacote único de DVD.

(Nota: o Grand Ville branco da foto é versão cupê e de ano diferente do modelo do filme)

Aperta o cinto abdominal ai!

Trailer:

Perseguição:

Fonte: Revista Car Magazine  e sites: www.imdb.com e www.imcdb.org

Autor: Emerson Martinez

 

Anúncios




Luz, Câmera…Aceleração!

17 05 2010

Charger: Nunca foi nomeado ao Oscar...

Com seu visual agressivo e ar soturno, o Charger R/T de 1968 a 1970, brilhou nas telas de cinema durante mais de 4 décadas. Seus proprietários quase sempre são vilões  ou anti-heróis, e salvo algumas participações secundárias, ou mesmo figurativas, o lendário Muscle ruge seu imenso motor, fazendo tremer os cinemas pelo mundo.

Desde o clássico policial Bullit de 1968, e a mitíca perseguição contra um Mustang GT, até o ínicio do século XXI tirando um racha com um Toyota Supra em Velozes e Furiosos, o Charger mantém vivo  para as novas gerações o legado Muscle Car. Não que todos seus “papéis” sejam dignos de lembrança, para os puristas, uma mácula: A série de TV e mais recentemente o filme Dukes of Hazzard (Os Gatões) que destruiu sistematicamente centenas de raros Chargers 69, principalmente naquelas cenas exageradas e ridiculas de salto. Realmente um desperdício de rolos de filme, e pior ainda, de bons modelos Charger.

Há também momentos antológicos como o duelo com o Mustang GT, no filme Bullit onde ambos antigiram reais 195km/h, algo impensável no cinema atual. Em Fuga Alucinada, com Peter Fonda, ele substitui com louvor um Impala 66 como carro de fuga de mecânicos que se tornam ladrões ocasionais. Na refilmagem para a TV de Vanishing Point (Corrida Contra o Destino), dois policiais a bordo de um Charger preto perseguem Kowalski e seu Challenger branco, nessa briga em familia quem ganhou foram os fãs dos modelos Mopar.

Além de velocidade o ‘Dodjão’ americano tem estilo, as câmeras o adoram, por isso o carro é sempre lembrando pelos produtores para participações menos agitadas, mas não menos impactantes como o veículo do vampiro Blade interpretado por Wesley Snipes, ou no filme Christine, sendo o carro de Dennis (John Stockwell) o rapaz que tenta dissuadir seu amigo Arnie Cunningham (Keith Gordon) primeiramente a não comprar, e depois se livrar, de seu possuído Plymouth Fury 1958.

Enfim, a filmografia deste clássico é extensa e sua carreira na telona ainda não acabou, esperamos cada vez mais poder vê-lo em belos filmes com o máximo de velocidade, e se possivel, com o minimo de avarias, os fãs da sétima arte e de V8 como eu, agradecem.

-Emerson Martinez

Bullit (1968)

Fuga Alucinada (1974)

Cannonball! (1976)

Black Heat (1976)

Os Gatões (Série de TV, 1979 - 1985)

Christine (1983)

Duro de Espiar (1996)

Corrida Contra o Destino (Refilmagem TV, 1997)

Blade (Filme, 1998)

Velozes e Furiosos (2001)

Narco (2004)

Os Gatões (Filme, 2005)

Blade (Série de TV, 2006)

Velozes e Furiosos 4 (2009)

SLIDES:

Este slideshow necessita de JavaScript.

VIDEOS:





Opel Commodore GS/E 1970

6 03 2010

Commodore GS/E: O primo rico do Opala SS também estava em forma.

De estilo esportivo e até um pouco americanizado pelas faixas pretas e rodas palito, o Commodore GS com 130cv ou GS/E  de 150, impressionavam também pelo seu desempenho, já que este modelo tinha desempenho superior ao do Porsche 911 da mesma época e rivalizava com outros médios europeus como o Ford Capri Essex, BMW 2000TI e o NSU 80.

Claro que fica impossivel não compará-lo com seu quase sósia brasileiro Chevrolet Opala SS, e ver o quanto há de semelhanças e diferenças. A começar pelo motor, no Opel era um 6 cilindros em linha 2.8 litros equipado com um sistema de carburação a vácuo Bosch D-Jetronic, rendendo 150cv o Opel conseguia ter desempenho semelhante aos Opalas SS mais bravos (250-S) mais superaria fácil os 4.1 comuns.

Andava mais que um 911? Eita...

Em miniatura: Sonho 18 vezes mais possivel da Revell

Velocimetro graduado até 220km/h, na versão brasileira era 40 km/h a menos...

Nas pistas, o Rekord Commodore teve sucesso sendo preparado pela empresa alemã Steinmetz, mas o cupê em questão era hardtop, semelhante em formato ao Opala sedã, só que em duas portas. Para quem quiser conferir a performance desta preciosidade, estou disponibilizando cenas de perseguição do filme “De la part des copains” (Cold Sweat, na distribuição internacional) rodado na França e protagonizado por ninguém menos que Charles Bronson, postarei 2 videos já que o mais extenso não mostra o final da perseguição.

GS/E Steinmetz Hardtop: Quem concorda que o fastback é mais bonito?

O Opel Rekord Commodore assemelhado ao Opala foi fabricado entre 1967 e 1971, em 72 a linha foi completamente atualizada mas se manteve a versão GS/E que então pulou para 160cv, existiu também uma rara versão preparada pela Motorsports chamada Jumbo Interserie lançada em 1974 e equipada com motor V8 GM de 6.5 litros, mas esse será assunto quiçá em futuros posts.

Dos 156.330 Rekord Commodore fabricados, 2,574 eram GS/E o modelo tinha outras versões pelo mundo tais: como Opel Olímpico no México, GM Ranger na Bélgica e África do Sul além claro do Opala brasileiro.

Fala a verdade essas rodas palito heim?

Quase xará do Comodoro, mas esse é esportivo.

GS/E sedã: Esportivo 4 portas sem preconceitos...

Opala SS 1974: O brasileiro optou por uma abordagem ainda mais americana.

GM Ranger GTS: a versão belga.

Opel Olimpico: Modelo mexicano com rodas Hurst e tudo mais.

 Veredicto: Quando se fala em esportivos alemães são sempre os mesmos, Audi, BMW, Porsche…muito legal, eu também gosto, mas é preciso lembrar que existia também uma classe emergente gostava de andar rápido também, em um esportivo mais popular sem ser pobre, e a Opel compreendeu essa necessidade temperando seu médio, felizes os europeus, o Charles Bronson e porque não, os brasileiros que vão de Opala.

 Ficha Técnica:

Fabricante: Opel AG – Rüsselsheim, Hesse – Alemanha

Motor:

  • Cilindrada: 2.8 litros
  • Torque: 20 kgfm a 4000 rpm
  • Potência: 150cv a 5200 rpm
  • Relação peso/potência: 8,26 kg/cv

Dimensões e Peso:

  • Comprimento: 4,57m
  • Largura: 1,75m
  • Peso: 1240kg

Desempenho:

  • 0 a 100km/h: 9.4s
  • 0 a 120km/h: 13.4s
  • 0 a 1000m: 30.8s
  • Velocidade Máxima: 197,5km/h

Fontes: Revistas Auto Motor und Sport e Daily Express Motor Show Review.(Agradecemos o blogueiro Bremm pelas informações sobre o filme Cold Sweat)

Autor: Emerson Martinez