A Fénix!

22 08 2012

Visite nossa fanpage de carros clássicos no Facebook!

Pessoal, é com grante satisfação que retomaremos as atividades neste blog, novas matérias, publicação de testes, e muitas novidades como por exemplo nossa fanpage no Facebook, a Word Classic Cars onde há foram postadas mais de 2000 imagens de carros clássicos do mundo inteiro, dividos por álbuns e países em imagens raras e em sua maioria grandes e/ou de alta resolução. Vão de  automóveis de grandes potências automobilístcas a até pequenas nações produtoras, entre nossas raras imagens foram publicadas muita publicidade antiga também. Vale a pena conferir, curta nossa página!

https://www.facebook.com/WorldClassicCars

Pedimos desculpas aos que acompanhavam nosso blog, vamos voltar de forma definitiva após quase 2 anos! É o corre-corre da vida, mas enfim quem curte automóveis esportivos, luxuosos antigos e as grandes marcas mundiais sempre será bem-vindo aqui e encontrará sempre coisas interessantes. Obrigado à todos e nos vemos amanhã!

Anúncios




“Vamos sacudir, sacudir pelas ruas.”

5 08 2010

King Tee e os chassis saltadores do Lowrider...

Lowrider é mais do que um carro “tunado” é uma cultura urbana criada pelos imigrantes hispânicos da Califórnia do pós-guerra. Suspensões hidráulicas, solenóides, muitas baterias e a devoção à Virgem de Guadalupe fazem parte deste extrato social que hoje é difundido mundialmente.

Precisamente nos anos 90 a cultura Lowrider encontrou outra cultura, a do Hip Hop da costa -oeste  americana, tanto que transformou o Impala principlamente os modelos 63 e 64 em ícones do rap na época. Os Lowriders passaram a serem desenvolvidos também nos guetos afro-americanos, e os rappers não ficaram de fora; Snoopy Doggy Dogg, Dr Dre, Cypress Hill, e também King Tee, que na minha opinião, tem o melhor clipe e música de Lowrider.

Na faixa ‘Dippin’ do album  IV Life, (na tradução do inglês, dippin é  algo como sacudir para frente e para trás) o rapper infesta as ruas do bairro Creenshaw, em Los Angeles, de Impalas de várias gerações, e outras barcas imensas como Cadillacs e alguns Monte Carlos. Hoje porém, a população negra dos EUA, deixou um pouco de lado os Lowriders, preferindo SUV’s modernas equipadas com um bom sistema de áudio e com rodas cromadas de grande aro, categoria essa chamada lá de DUB.

Espero que gostem da música e dos Lowriders, sempre que vejo esse clipe me dá vontade de ter um…

-Emerson Martinez

O Impala é o carro do Gangsta Rap...(Com uma pistola dessa quem precisa de blindagem? rsrsrsrs)





Luz sem Brilho

3 08 2010

Pouca luz e muita sombra no último domingo...

O primeiro dia de agosto calhou também de ser o primeiro domingo do mês, mas o Encontro de Antigos da Luz não foi de primeira. Poucos carros, um sol bem morno e muita sombra, tiramos poucas fotos que é um bom termômetro do movimento da feira. No interior da praça, que costuma abrigar o excedente de carros que chegam mais tarde, havia poucos carros, um pouco menos ainda e não haveria necessidade de sequer utilizá-la.

Já que em quantidade e variedade de carros o domingo estava ruim, resolvi então destacar um pouco do comércio no entorno da feira. Quem um dia resolver passear pelo evento, talvez possa adquirir alguns souvenirs que lá são vendidos. Posteriormente falaremos também de autopeças e revistas automobilísticas e manuais antigos.

SPLASH ADESIVOS

Splash Adesivos: Estampas, Banners e DVDs

No quiosque da Splash Adesivos, você pode fazer estampas de camiseta com uma grande variedade de desenhos e imagens relacionados ao mundo do automóvel. Ou você pode trazer uma outra imagem ao seu gosto  em arquivo USB. Adquirindo a camiseta na barraca mais a estampa o preço é de 25 reais, ou 12 reais se já tiver a camiseta.

Eu mesmo já fiz duas estampas com eles e o resultado é muito bom, desde que se siga alguns cuidados na hora da lavagem. A Splash também comercializa DVDs de provas de arrancada e eventos de carros clássicos, faz banners e adesivos para automóveis.

Belas estampas com grande variedade gráfica e com boa qualidade.

Eles também vendem DVDs, banners e adesivos.

Telefone Móvel: (011) 8536-1995, email: sac@splashadesivos.com.br

CDKolection

CDKolection: Miniaturas, vitrines e dioramas de ferroramas.

Meu amigo Daniel, o simpático argentino do quiosque CDKolection oferece muitas miniaturas principalmente das marcas Hotwheels, Matchbox, táxis da coleção Altaya de coleções já fora de catálogo e também a exclusiva coleção ‘Carros Brasileiros’ em edição limitada lançada pelo jornal Extra do Rio de Janeiro.

Daniel também faz vitrines para miniaturas em várias medidas, com bom acabamento em madeira, quem é colecionador como eu sabe da importância deste acessório para a conservação das peças que podem sofrer danos com o tempo devido a poeira, e as mãos curiosas e descuidadas de outras pessoas. Para finalizar eles também vendem dioramas antigos e importados para ferrorama.

Pela grande variedade das miniaturas e principalmente pela procedência de coleções já raras esse quiosque é o mais completo do evento, segue telefone e email de contato, lembrando que o Daniel só comercializa seus produtos na feira mensal.

A CDKolection vende a cobiçada coleção de miniaturas 'Carros Brasileiros' do jornal Extra.

 
 

Muitas miniaturas Hotwheels e Matchbox...

...e a rara coleção de táxis da Altaya.

Dioramas antigos e importados para ferrorama.

Contato: Telefone (011) 4368-0068, email cdanielkruger@yahoo.com.br

 

MIROX DESIGN

Enfim uma miniatura que se pode dirigir...

Este vale a curiosidade, a Oficina Mecânica Mirox Design produz carrocerias de um pequeno HotRod em fibra de vidro. Este das fotos possui motor de cortador de grama de 5cv de potência, mas segundo eles o pequeno carrinho suporta até motor de motocicleta. A Mirox porém não monta o pequeno Hot, cabendo a quem compra a carroceria completar o serviço.

Para as crianças bem comportadas durante o ano fica a esperança de pilotar um Hot Rod que atinge 40km/h com câmbio de 5 marchas e embreagem centrifuga.

Sim, um cortador de grama pode virar um Hot Rod...

Só pra aumentar a marra: o brinquedinho tem 5 marchas...

Haja nota boa na escola pra merecer um presente desse...

Contato: Telefone (011) 5044-6482, Blog www.miroxdesign.blogspot.com

Mas e ai?  Teve Encontro?

Opa! Claro que sim…mas muitos clássicos repetidos, desta vez lhes trago menos fotos esperando melhor sorte mês que vem. Não esqueçam todo primeiro domingo do mês a partir das 9h30 da manhã, isso se você quiser dar calote na F1…

 

FULL-SIZES

Chevrolet Caprice 1986 Lowrider

 
 

Chevrolet Cupê 1952 Rat Rod

Cadillac Eldorado 1959 Cupê

Cadillac Eldorado 1970 Conversível

 

PONY CARS

Chevrolet Malibu 1967 Sedã

Ford Mustang 1965

Ford Mustang Mach 1 1971

Ford Mustang 1965 Conversível

 

NACIONAIS

Chevrolet Caravan 4.1 250-S 1978

Dodge Dart DeLuxo 1971

Dodge Magnum 1979

Maverick Super Luxo 1974

Mais Evento de clássicos na Luz mês que vem. Até lá pessoal!

Texto e fotos: Emerson Martinez





O Esquadrão Implacável/The Seven Ups

16 07 2010

The Seven Ups: Perseguição com grife Bullit...

Antes de Tubarão, Roy Scheider (1932-2008) estrelou o filme policial Seven Ups (O Esquadrão Implacável) de 1973, que é um grupo de elite policial à paisana que se utiliza de táticas não convencionais na luta contra o crime. O caldo engrossa quando um dos policiais deste esquadrão é assassinado, e o grupo colocado à prova.

Colocados à prova também foram os Pontiacs Ventura e Grand Ville que literalmente decolam nas ruas do Bronx a 180km/h reais. Se você só viu carro correndo no cinema assistindo Velozes e Furiosos, se prepare, porque nesta perseguição não há efeitos especiais, apenas câmeras instaladas nos carros capturando toda a ação.

O saudoso Roy Scheider checa os últimos detalhes do seu Pontiac Ventura.

Sem efeitos especiais: Os carros vão a toda velocidade apenas com as câmeras fixadas.

Pontiac Ventura Sprint 1973: 200cv liquidos e 0-100km/h em 7.7s

O filme da 20th Century Fox, foi dirigido por Philip D’Antoni, produtor do policial Bullit (1968) estrelado por Steve McQueen. Também de Bullit e Operação França, Bill Hickman (1921-1986) piloto-dublê que é o sinistro ‘tiozinho’ de óculos que pilotava o Charger R/T preto perseguido por McQueen.

As cenas de perseguição se deram nas ruas do Bronx e Manhattan, o carro dos bandidos é um Pontiac Grand Ville 1973 , um Full-Size que teve baixa produção entre os anos 1971/1975. O enorme sedã tinha um motor de 6.6 litros e 360cv brutos e impressiona pela velocidade alcançada nas cenas.

O “compacto” Pontiac Ventura 1973 por sua vez, possui o famoso 350 (5.7 litros) e 200cv liquidos, este modelo é baseado no Chevrolet Nova do mesmo ano e é basicamente o último Pontiac GTO fabricado em 1974. Este modelo acelerava de 0 a 100km/h em 7.7s e cumpria o quarto de milha (400m) em 15.7s, números semelhantes aos de um Honda Civic SI atual.

Mais uma vez Bill Hickman não dá mole pro "mocinho"

Pontiac Grand Ville, a 'barca' voadora de Seven Ups...

Ventura Sprint exatamente igual ao do filme em foto atual...

Os anti-saudosistas que me perdoem, mas em se tratando de perseguição cinematrográfica de automóveis os anos 70 foram a Era de Ouro, distantes de normas mais rigidas de segurança, altos valores de seguro e principalmente de efeitos especiais à la PlayStation, esses dublês profissionais premiaram o público de cinema da época com cenas antológicas e com muita, muita velocidade. Vou mais longe: Bullit, Operação França e O Esquadrão Implacável deveriam ser vendidos em pacote único de DVD.

(Nota: o Grand Ville branco da foto é versão cupê e de ano diferente do modelo do filme)

Aperta o cinto abdominal ai!

Trailer:

Perseguição:

Fonte: Revista Car Magazine  e sites: www.imdb.com e www.imcdb.org

Autor: Emerson Martinez

 





Parada do Orgulho Clássico

8 06 2010

Inspeção veicular para antigos. Haverá luz no fim do túnel?

Mais um domingo da Estação da Luz, mais uma reunião mensal de clássicos. A temperatura baixa e o feriadão não diminuíram o público. Um sol tímido dava as caras, onde havia sombra, muito frio e escuridão, o que tornou um pouco díficil a tarefa de tirar fotos. O evento do dia  06/6 coincidiu com a Parada Gay, e não podemos dizer também que dono de carro clássico não pertença a um grupo ‘marginalizado’.

Os típicos bate-papos, sobre mecânica e procura de peças, neste domingo, cederam espaço para a injusta inspeção veicular, que também serão submetidos os automóveis antigos.  Injusta, porque se trata de automóveis que rodam pouco, uma vez por semana, alguns até uma vez por mês. Embora sejam sim mais poluentes na teoria, devido ao seu pouco uso, acabam jogando na atmosfera, menos monóxido de carbono que mordeníssimos carros injetados e catalisados que rodam diariamente, e muitas vezes desnecessariamente. Entupindo nossas vias  com congestionamentos monstro.

Que mané inspeção veicular o quê...Pedala Kassab!!!

Sem falar na proliferação de motos, uma moto pode chegar a poluir até 7X mais que um automóvel, e também rodando impunemente caminhões dentro da cidade, até no centro! A frota de ônibus coletivos é outra vilã, que pela cara tarifa cobrada pelas empresas do setor, poderiam já aportar investimentos em combustiveis alternativos menos poluidores.

Enfim, fica claro o caráter meramente arrecadatório da prefeitura, que reina sobre qualquer iniciativa sincera de melhorar o meio-ambiente e a qualidade de vida do cidadão. E se Gilberto Kassab pensa em se reeleger, pense de novo. No que depender pelo menos de donos de carros clássicos, e a maioria de membros de auto clubes, ele perdeu uma significativa e qualificada quantidade de votos.

Deixando a política de lado e falando de coisa que vale a pena. A Estação reuniu impecáveis classicos esportivos, e se eu tivesse que destacar uma marca, seria a Porsche. A começar por um rarissímo Spyder 718 RS60 1960, um outro modelo mais ‘domesticado’, um 356 1954 conversível e também o onipresente 911, preto ano 1978. Além dos alemães, 2 Minis clássicos, sendo um deles  o Morris GT1275, 1973 e sua frente “modernizada” reestilização que na época não agradou. Vale a curiosidade.

Olha que nesta inspeção, se bobear, vão querer ver até nossos dentes...

Um Corvette C2 1958 com rodas palito de maior diâmetro, outro Corvette já da crise energética de 1974 chamou a atenção do público e foi chamado de “Ferrari” algumas vezes. Um Caprice 1975 Lowrider no melhor estilo chicano me dificultou um pouco a vida para tirar fotos, tamanho era o assédio das pessoas. Além das fotos confira nosso video amador dessa bela barca.

Dos nacionais destaco o raro esportivo Puma GTB, 100% brasileiro em termos de projeto, esse também ganhou outras marcas e versões na boca dos leigos. Encontro de antigos é assim, um pouco de entreterimento e um pouco educativo. Se pode aprender muito sobre carros e até como a votar decentemente., mas não confiem só nas minhas palavras, apareçam lá no mês  que vem para prestigiar.

-Emerson Martinez

AS MÁQUINAS

Porsches Clássicos:

Porsche 718 RS60 Spyder, 1960

Porsche 356 Conversível, 1954

Porsche 911, 1978

 

Alfa Spyder, Bugatti Type 35A, Mini Coopers:

Alfa Romeo Spyder, 1968

Trivia: Este é o mesmo modelo que Dustin Hoffman dirigiu no filme, A Primeira Noite de um Homem.

Mini Morris 1275GT, 1973

O Mini Cooper por sua vez "atuou" no filme, Um Golpe à Italiana, com Michael Caine.

Mini Cooper S, 1968

Bugatti Type 35A, 1925 (Réplica)

 
Os Chevys:
 

Chevrolet Corvette C2, 1958

Polêmicos vincos no capô...

Corvette Stingray, 1974

Camaro Z/28, 198?

Chevrolet Caprice Lowrider, 1975

Belas rodas e pneus Toyo.

Será que tem direção hidraúlica?

Chevy Impala, 1961

Chevy Cup Hot Rod, 1933

Se liga nesses coletores Kassab.

 

Os Nacionais:

Puma GTB, 1978

São 171cv bem famintos...

É o meu modelo de Puma preferido.

Fastback nacional e com muito estilo.

Ford Maverick GT, 1974

E onde estão os Opalas SS?

Dodge Dart DeLuxo, 1973

Ao menos o dono deste Dart acredita no Dunga, haja fé...

Slides:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Video Chevy Lowrider:





Policial Matador

1 06 2010

AMC Matador: Caçando os 'Bad Guys' a 200km/h

Quem tem seus 30 e muitos anos de idade (como eu) e até mais, já deve ter visto inúmeras viaturas policiais ‘alvi-negras’ em séries de TV e filmes. Naquela época nos EUA carro de polícia tinha que ser Full-Size (mais de 5,08m) de comprimento, um motor Big Block (maior que 5,7 litros) e não menos importante, tração traseira.

O Matador sedã era a típica viatura policial, era até um full-size “pequeno” para os padrões americanos daqueles tempos (5,23m) enquanto que imensos Chryslers sedãs estavam quase batendo nos 6m. O modelo da extinta American Motors, tinha uma configuração compacta e ágil para o patrulhamento urbano, e departamentos de polícia como o de Los Angeles, não se furtaram em adquirir seus ‘Matadores’ na luta contra o crime.

O Matador em traje civil...

Reestilização em 1973: Pesados parachoques em nome da segurança (ou da feiúra)

A fábrica de Kenosha, Winsconsin oferecia para seus carros policiais um Big Block de 401 polegadas cúbicas (6,6 litros) e 330hp (335cv) que garantia uma aceleração de 0 a 100km/h em menos de 7 segundos, e uma velocidade máxima de 201 km/h. Você se for velho o bastante, pode se lembrar desta performance em séries como Os Gatões, e filmes como Comboio. Só que nestas produções, o Matador é vilão e quase sempre termina a história severamente avariado.

O seriado que zelou pelo seu bom nome foi Adam-12 interpretado pelos atores Martin Milner (Pete Malloy) e Kent McCord (William “Mac” MacDonald). O Matador 1972 esteve nas duas últimas temporadas do programa (1974-75) que já havia utilizado os Plymouths Belvedere e Satellite, todas viaturas idênticas as usadas pela polícia de Los Angeles (LAPD) na vida real.

Para Servir, Proteger e Entreter...

Adam-12: Kent McCord (esq) e Martin Milner segurando um belo iPhone

São 335cv à serviço da comunidade...

Barca "pequena" para os antigos padrões yankees...

Em 1973 o Matador perdeu parte do ‘charme’ com os imensos e pesados parachoques exigidos pelas leis de trânsito americanas. O sedã seguiu em produção até 1978, os grandes departamentos de polícia americanos renovam com frequência sua frota de veículos. Porém pequenos condados de cidades do interior dos Estados Unidos seguiram utilizando o Matador até metade dos anos 80, o que quase coincide com a morte da sua montadora. A American Motors encerrou suas atividades em 1987.

Uma curiosidade: O carro que Michael Jackson destrói no final do clipe Black or White, é um Matador 1972. A cena em que Mike detona o carro e dança sobre ele causou “polêmica”, como todos sabem, e foi logo depois cortada do video oficial. Michael  havia justificado o ‘vandalismo’ como um desabafo contra o racismo. Seria uma indireta do cantor também contra a  violência policial, já que o carro era um dos ícones da corporação de Los Angeles e que na época enfrentava inúmeros casos de abusos?

Michael Jackson reaproveitou esse carro colocando-o no palco da sua turnê do álbum Black or White.  O carro do video estava um pouco amassado e tinha grafites com mensagens de paz. Confira no Youtube a cena cortada onde Michael destrói, ou melhor termina de destruir um destituído Matador.

www.youtube.com/watch?v=niQJtZGTD8A

-Emerson Martinez

 





Domingo é dia de Clássico.

3 05 2010

Não se esqueçam, todo primeiro domingo do mês é dia de clássico.

Uma noite pesada de sono quase me tira de mais um encontro mensal na Estação da Luz em São Paulo, que começa logo pela manhã no primeiro domingo de cada mês.  Com pouco tempo fui direto ao ponto, registrando a presença de alguns modelos que poderiam ser relevantes para esse blog neste evento do mês de maio, dia 2.

Na praça ao lado da estação encontrei belos carros, sem falar que na praça as fotos ficam ótimas. Entre os destaques : um reluzente Camaro SS 350 de 1967 branco, um Maverick GT 1974 com vidros verdes, Mustang Coupé cor vinho 1966, e um raro Karmann Ghia alemão 1974, semelhante ao nacional, porém com parachoques maiores e em seu último ano de produção por lá. Em 74 já não se produzia esse modelo no Brasil, apenas a versão Karmann Ghia TC.

Na parte externa à praça, em frente a estação, encontramos um Corvette Stingray 1964, com escapes laterais e janela traseira unificada (lembrando que Corvette Split Window só em 63) um Mercury Cougar Eliminator 1970, Muscle Car raro até nos EUA, uma Alfa Romeo GTA 1970 (um dos meus modelos preferidos desta marca), e um foragido Bianco S, quem se lembra deste esportivo nacional que tinha mecânica VW?

Pois bem encontramos um vermelho 1978, e por fim um Fusca 1600S conhecido como “Bizorrão“. Conversei com o proprietário o atencioso senhor Paulo, dono de um modelo amarelo ano 1975. Ele possui 10 Fuscas sendo que 6 são “Bizzorões“, alguns destes em vias de restauração. Seu Paulo explicou em detalhes a história do carro, segundo ele foram produzidos apenas 5000 destes Fuscões entre os anos 1974/75 desta que foi a única versão esportiva do simpático Volks.

Eu havia inclusive filmado o Sr Paulo contando a história do carro, porém alguns motoristas de Mustangs e um imenso caminhão Kenworth, estragaram o áudio com o rugido de seus motores. Espero poder refilmar  ‘a aula’ sobre o Fuscão nos próximos encontros pois o Bizorrão está na nossa pauta aqui no Punta Taco.

Além dos esportivos, tomei a liberdade de registrar no blog alguns possantes Full-Sizes (barcas) que embora não sejam esportivos, são igualmente belos e clássicos. A lista de gigantes está composta por um Chevrolet Caprice LTZ, ano 1993, um Ford Galaxie 500 1968 nacional, e um assustador Buick Electra 225 1959.

Espero que aproveitem as fotos que são de resolução 1024, babem e até o próximo mês!

-Emerson Martinez.

OS ESPORTIVOS:

Camaro by Chevrolet...

Chevrolet Camaro SS, 1967

Ford Maverick GT, 1974

Ford Mustang Coupe, 1966

VW Karmann Ghia, 1974 (alemão)

Afinal, Stingray se escreve junto ou separado?

Chevrolet Corvette Sting Ray, 1964

Elimine a chatice automobilística com o Cougar!

Mercury Cougar Eliminator, 1970

Minha marca italiana preferida...

Alfa Romeo GTA, 1970

Alguém ainda se lembra da Bianco?

Bianco S, 1978

Fusca 1600S, 1975 (Bizorrão)

AS BARCAS (FULL-SIZES):

Chevrolet Caprice LTZ, 1993

Ford Galaxie 500, 1968 (brasileiro)

Buick Electra 225, 1959

SLIDES:

Este slideshow necessita de JavaScript.