A Fénix!

22 08 2012

Visite nossa fanpage de carros clássicos no Facebook!

Pessoal, é com grante satisfação que retomaremos as atividades neste blog, novas matérias, publicação de testes, e muitas novidades como por exemplo nossa fanpage no Facebook, a Word Classic Cars onde há foram postadas mais de 2000 imagens de carros clássicos do mundo inteiro, dividos por álbuns e países em imagens raras e em sua maioria grandes e/ou de alta resolução. Vão de  automóveis de grandes potências automobilístcas a até pequenas nações produtoras, entre nossas raras imagens foram publicadas muita publicidade antiga também. Vale a pena conferir, curta nossa página!

https://www.facebook.com/WorldClassicCars

Pedimos desculpas aos que acompanhavam nosso blog, vamos voltar de forma definitiva após quase 2 anos! É o corre-corre da vida, mas enfim quem curte automóveis esportivos, luxuosos antigos e as grandes marcas mundiais sempre será bem-vindo aqui e encontrará sempre coisas interessantes. Obrigado à todos e nos vemos amanhã!





Fonds d’Écran – Esportivos Franceses

6 09 2010
1970 Renault Gordini R12

Franceses: 'Feios' com conteúdo...

Os carros franceses são famosos pela feiúra, ou pelo menos por alguns exóticos e polêmicos designs, mas também pela tecnologia e inovações empregadas, sabendo como aliar sofisticação e praticidade. As marcas francesas não são tão lembradas pela esportividade quanto as alemãs e italianas, mas objetivamente falando, tiveram semelhante êxito competitivo. Carros velozes e de excelente performance que vão desde pequenos hatches apimentados até carros campeões de F1. Pra brasileiro que gosta de acelerar vale a pena ser freguês dos franceses. Allez!

-Emerson Martinez





Parada do Orgulho Clássico

8 06 2010

Inspeção veicular para antigos. Haverá luz no fim do túnel?

Mais um domingo da Estação da Luz, mais uma reunião mensal de clássicos. A temperatura baixa e o feriadão não diminuíram o público. Um sol tímido dava as caras, onde havia sombra, muito frio e escuridão, o que tornou um pouco díficil a tarefa de tirar fotos. O evento do dia  06/6 coincidiu com a Parada Gay, e não podemos dizer também que dono de carro clássico não pertença a um grupo ‘marginalizado’.

Os típicos bate-papos, sobre mecânica e procura de peças, neste domingo, cederam espaço para a injusta inspeção veicular, que também serão submetidos os automóveis antigos.  Injusta, porque se trata de automóveis que rodam pouco, uma vez por semana, alguns até uma vez por mês. Embora sejam sim mais poluentes na teoria, devido ao seu pouco uso, acabam jogando na atmosfera, menos monóxido de carbono que mordeníssimos carros injetados e catalisados que rodam diariamente, e muitas vezes desnecessariamente. Entupindo nossas vias  com congestionamentos monstro.

Que mané inspeção veicular o quê...Pedala Kassab!!!

Sem falar na proliferação de motos, uma moto pode chegar a poluir até 7X mais que um automóvel, e também rodando impunemente caminhões dentro da cidade, até no centro! A frota de ônibus coletivos é outra vilã, que pela cara tarifa cobrada pelas empresas do setor, poderiam já aportar investimentos em combustiveis alternativos menos poluidores.

Enfim, fica claro o caráter meramente arrecadatório da prefeitura, que reina sobre qualquer iniciativa sincera de melhorar o meio-ambiente e a qualidade de vida do cidadão. E se Gilberto Kassab pensa em se reeleger, pense de novo. No que depender pelo menos de donos de carros clássicos, e a maioria de membros de auto clubes, ele perdeu uma significativa e qualificada quantidade de votos.

Deixando a política de lado e falando de coisa que vale a pena. A Estação reuniu impecáveis classicos esportivos, e se eu tivesse que destacar uma marca, seria a Porsche. A começar por um rarissímo Spyder 718 RS60 1960, um outro modelo mais ‘domesticado’, um 356 1954 conversível e também o onipresente 911, preto ano 1978. Além dos alemães, 2 Minis clássicos, sendo um deles  o Morris GT1275, 1973 e sua frente “modernizada” reestilização que na época não agradou. Vale a curiosidade.

Olha que nesta inspeção, se bobear, vão querer ver até nossos dentes...

Um Corvette C2 1958 com rodas palito de maior diâmetro, outro Corvette já da crise energética de 1974 chamou a atenção do público e foi chamado de “Ferrari” algumas vezes. Um Caprice 1975 Lowrider no melhor estilo chicano me dificultou um pouco a vida para tirar fotos, tamanho era o assédio das pessoas. Além das fotos confira nosso video amador dessa bela barca.

Dos nacionais destaco o raro esportivo Puma GTB, 100% brasileiro em termos de projeto, esse também ganhou outras marcas e versões na boca dos leigos. Encontro de antigos é assim, um pouco de entreterimento e um pouco educativo. Se pode aprender muito sobre carros e até como a votar decentemente., mas não confiem só nas minhas palavras, apareçam lá no mês  que vem para prestigiar.

-Emerson Martinez

AS MÁQUINAS

Porsches Clássicos:

Porsche 718 RS60 Spyder, 1960

Porsche 356 Conversível, 1954

Porsche 911, 1978

 

Alfa Spyder, Bugatti Type 35A, Mini Coopers:

Alfa Romeo Spyder, 1968

Trivia: Este é o mesmo modelo que Dustin Hoffman dirigiu no filme, A Primeira Noite de um Homem.

Mini Morris 1275GT, 1973

O Mini Cooper por sua vez "atuou" no filme, Um Golpe à Italiana, com Michael Caine.

Mini Cooper S, 1968

Bugatti Type 35A, 1925 (Réplica)

 
Os Chevys:
 

Chevrolet Corvette C2, 1958

Polêmicos vincos no capô...

Corvette Stingray, 1974

Camaro Z/28, 198?

Chevrolet Caprice Lowrider, 1975

Belas rodas e pneus Toyo.

Será que tem direção hidraúlica?

Chevy Impala, 1961

Chevy Cup Hot Rod, 1933

Se liga nesses coletores Kassab.

 

Os Nacionais:

Puma GTB, 1978

São 171cv bem famintos...

É o meu modelo de Puma preferido.

Fastback nacional e com muito estilo.

Ford Maverick GT, 1974

E onde estão os Opalas SS?

Dodge Dart DeLuxo, 1973

Ao menos o dono deste Dart acredita no Dunga, haja fé...

Slides:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Video Chevy Lowrider:





Troca com troco?

9 05 2010

Bugatti Atlantique Type 57SC: 73 milhões de reais, sem opcionais...

Que leilões de antigos reínem carros raros e caros, todos sabem, mas dessa vez chegou-se ao recorde impressionante de US$ 40 milhões, ou 73 milhões de reais. Imagine só você ganhar na Mega Sena e não ter dinheiro para comprar um carro de 64 anos atrás. Mas foi essa a quantia paga pelo museu Mullin Automotive localizado em Oxnard, Califórnia.

O modelo é um Bugatti Atlantique Type 57SC de 1936, esse modelo em particular pertenceu a um médico inglês chamado Harold Carr que havia encostado o carro em seu galpão. Após o seu falecimento, seus familiares desentocaram o raro modelo, que foi completamente restaurado e pintado na sua cor original, um tom suave de azul, (antes o carro tinha cor preta). Recuperado, o clássico bólido foi colocado a leilão.

O carro em 64 anos de vida rodou apenas 23, somando um total de 26,2 mil Km. Seu dono anterior  foi outro britânico de nome Ear Howe, presidente de um clube de automóveis de corrida. Ele comprou o carro em 1955 por US$ 16 mil em valores atualizados. O Atlantique foi leiloado pela casa Gooding & Company com sede também na Califórnia.

O carro é tão caro que o Chiquinho Scarpa pode ser o flanelinha...

O Atlantique chegava quase a 200km/h em plenos anos 30...

Tanto dinheiro pode ser, ao menos em parte, justificado. O Atlantique estava um pouco à frente de seu tempo. Foi projetado por Jean Bugatti, filho de Ettore Bugatti, tem uma potência de 204cv e atinge inacreditáveis 194km/h de máxima, quando na época a média era entre 80 a 100km/h. O esportivo de luxo, contava com apenas 2 lugares, e chamou muita atenção pelo design futurista, tinha excentricidades (frescuras) como uma espécie de “barbatana” dividindo ao meio toda a carroceria, unida com rebites, a mesma solução foi utilizada para unir também os páralamas.

Só restam este e mais 2...

Hoje restam apenas 3 destes modelos, o museu que o comprou se dedica a perservar elementos que identifiquem a cultura francesa, o que abrange também o mundo automobilístico.  Curioso seria imaginar que tipo de veículo poderia-se aceitar em uma troca (troca com troco?) ou quanto cobraria um flanelinha para tomar conta, se o mesmo soubesse o valor desse rubí com rodas. Uma gorjeta tão cara que até o Chiquinho Scarpa poderia ‘ficar de olho’…

-Emerson Martinez