Gran Torino – “Era uma vez na América”

30 03 2010

Gran Torino: Um EUA que não existe mais...

Curioso mas um filme cujo título é a marca de um carro não fala necessariamente sobre automóveis. Gran Torino na verdade é uma representação, quase uma fábula, de um país que ficou no passado. A América dos heróis 100% anglo-saxões, dos cowboys e veteranos de guerra, colidindo com uma nação economicamente decadente no século XXI, cujas industrias estão falidas, obsoletas ou foram exportadas. Ao mesmo tempo imigrantes e gangues de marginais povoam os bairros outrora de brancos suburbanos.

O personagem de Clint Eastwood, batizado curiosamente de Kowalski, perde a esposa e se vê sozinho em casa, cercado no entando por uma vizinhança de imigrantes vietnamitas da etnia Hmong. Kowalski tenta repelir seus vizinhos mas logo percebe que ambos tem o mesmo inimigo, uma gangue local.

Kowalski despreza tudo o que não é americano neste filme, as SUV’s japonesas de seus filhos ingratos e interesseiros, os imigrantes de olhos puxados do terceiro mundo, faz piadas racistas com minorias enquanto resmunga e lustra seu Ford Gran Torino 1972. Modelo que seu personagem, ex-operário da Ford, montou na linha de produção, e que foi um dos últimos representantes dos Muscle Cars, e de uma América próspera que em um passado recente ditava suas regras no mundo.

"Get off my lawn!"

Uma gangue tenta roubar o bólido de Clint: E quem não tentaria?

O espanhol "colonizador" e "genocida de índigenas" aqui deixa um Wallpaper 1024x768 pra vocês.

Se você ainda não viu, veja este filme, aos 78 anos (Filme de 2008)  Clint Eastwood está em sua melhor forma cinematográfica. Pessoalmente gostei também da atuação da jovem atriz Ahney Her (Sue Lor), e do seu irmão no filme (Thao) interpretado pelo também novato Bee Vang e que na história se torna o protegé de Clint.

Recomendo a quase todos, talvez não ao pessoal da ‘etiqueta‘ o filme é repleto de comentários preconceituosos e irônicos de Kowalski contra quase qualquer raça e nacionalidade. Mas faça uma concessão ao politicamente incorreto e veja essa trama que é o melhor filme de 2008 na minha opinião.

Um dado curioso: Clint Eastwood ficou com o Gran Torino 72 após as filmagens, o carro antes do filme era de um dono de loja de carros antigos. Após o filme o estúdio Warner Brothers queria se desfazer do carro, mas Clint tomou a iniciativa de comprá-lo…sortudo…

-Emerson Martinez

Torino na estréia do filme: Agora é do Clint, será que ele veio guiando até ai?

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: